sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Imensurável

Imensurável



Infinito é apenas uma palavra para alguns
Poeticamente não penso desse jeito
Talvez soubéssemos de múltiplos conceitos
Quem sabe seja uma palavra incomum
Algo que não se comente no desjejum
Infinito é aquele beijo no dia chuvoso
Aquele abraço que dizemos: Foi gostoso.
Algo que não se tenha hora para lembrar
Que existirá o motivo certo para caminhar
Um amor muito mais que caloroso...

Toda experiência se torna sensível
Quando os limites do indefinido
Não nos torna predicados do comedido
Sejamos sujeitos principais do incrível
Entre duas pessoas tudo é permissível
Aquele momento único na vida
Onde toda a razão ficou atrevida
Nós teremos a certeza que foi bonito
O suspiro final será a definição de infinito
A lágrima que jamais será devolvida.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano








quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Foi Tudo Prometido

Foi Tudo Prometido



Meus olhos já escurecem
Manhãs ainda irão nascer
Parti nesta hora uma alma que padece
Caminha lento agora
Em outra estância amanhece.


As flores do nosso jardim
Perderam o perfume original
Agora é seco não mora mais em mim
A beleza do olhar acabou afinal.


Não cabe mais lembrar o momento
Você fica e eu vou embora
Numa jornada além do pensamento
Nesse instante nem um beijo
Do infinito desejo aflora...


Estamos momentaneamente dispensados
Espíritos flagelados pelo fel da injúria
O toque sagrado fora envenenado
Nada mais é gratidão no coração
Que só se alimenta de lamúria.
O Perdão germinará em outra geração.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano











Estagiário de enfermagem

Estagiário de Enfermagem



Creio em Deus,
Na Luz Divina,
Única e Verdadeira.
Sou feliz por fazer parte
De todo esse Universo maravilhoso. 


Creio que
, apesar de ser aprendiz,
Posso colaborar para o bem comum.
Ciente de que nada é por acaso e a intuição
É a forma de comunicação
Entre a criatura e o Criador.

Saberei trabalhar a sinceridade
,
Estarei sempre alerta.
Sou Luz e essa Energia Vital do Criador
,
Canalizador das cores do Universo
,
Contribui e me instrui para um Ser Cuidador.

Saberei usar o Vermelho
Para vitalizar o potencial
Da constituição físico-humano.

O Amarelo ativará para restaurar
Células debilitadas
,
Energizando os músculos.

Para o equilíbrio usarei o Verde,
Assim harmonizar
O corpo físico, mental e emocional.

Poderei trabalhar com o Azul
Para relaxar o corpo todo e regular
O desenvolvimento harmonioso
Dos tecidos e da estrutura orgânica.

Respeitarei o Preto
Como o encontro da individualidade
Reflexão e descoberta, “de quem sou realmente”.

Enfim, estaremos de Branco,
A representação universal da Luz,
Vibração, onde encontramos o equilíbrio
De todas as cores Universais.
É a cor que mexe com o íntimo das pessoas.
É o novo e a purificação de todo o Ser Espiritual. 


Fernando Matos
Poeta Pernambucano



quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Recordação à Vida

Recordação à Vida



Hoje meu filho pediu...
- Papai, eu quero um presente.
Uma solicitação inusitada
Todavia fui prontamente
Até a cidade procurar
Algum brinquedo educativo
Para aquela afortunada idade.

Hoje eu tinha uma missão
Abrir um sorriso largo na criança
Que acreditando na escolha do pai
Guarda com toda esperança
Seu brinquedo...

O calor insuportável me recebia
Incrível pensar tamanho
Sofrimento aguentar o mormaço
Assim seria o meu dia.

Foco no presente solicitado
No entanto nada me agradava
Mas como bom pai que coitado
O calor na cabeça suportava
Porém mesmo me sentido acabado
Observei todos os presentes
Onde nada me agradava...

Senti-me triste e desolado
Como voltar para casa assim
Sem um brinquedo na mão
Para o papai seria o fim...

Chegando ao querido lar
O filho amado perguntou
- O meu presente papai?
A resposta o genitor não hesitou
Não achei um que fosse bonito...
Então o filho outro pedido fez:
- Pai me dá um abraço?
Sem demora com os braços
Abertos eu ofertei o laço mais precioso
Dos presentes, que é estar presente
Numa vida tão curta em que as lembranças
Desse momento irão ficar eternamente.

Fernando Matos
Poeta Pernambucano








sábado, 12 de agosto de 2017

Além da Escuridão

Além da Escuridão



Jamais se esqueça de voltar
Toda caminhada merece um descanso
Alguém esta a te esperar
Volte, mas venha com o coração manso.


Em tempo algum a tristeza o envolva
Sejamos mais fortes que o vendaval
Unidos pela alma quente da alegria
A Paz devolva a energia
Onde a emoção é fundamental.


Algum dia não iremos mais escrever
Tudo que foi dito ou escrito
Ficará para sempre no coração
De quem o merecer.
Profecia de Poeta é Grito na Escuridão.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano








sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Ser Pai

Ser Pai



Ser Pai...
Talvez não haja uma resposta certa
Uma definição tão significativa
No entanto naquele momento
Do respirar em teu nascimento
O pensar não existe, a emoção cativa
O coração aperta
Ao ouvir o teu primeiro choro que nos atrai
Avalanche de sentimentos
Define o contentamento... Agora Sou Pai.


Ser Pai...
É passar noites cuidando do teu sono
A super-proteção que é natural
Sem ser super herói, apenas companheiro.
Oração diária para te livrar de todo mal
É estar atento o tempo inteiro
Na educação que não tem limites
Ensinar a acreditar no pensamento
Respeitar o silêncio que tudo transmite.


Ser Pai...
É buscar na Sabedoria Divina
Que todos os dias vêm e ensina
A grande revelação...
Ser Pai é dedicação constante
Ser Pai é transformar-se em cuidador
Do filho do Criador
Ensinando-lhe as alegrias da vida
Na responsabilidade de um eterno professor.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano







quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Amnésia

Amnésia



Não lembro mais de nada
Talvez seja melhor assim
Lembrança dói e maltrata
A dor de uma infinita esperança.


A fotografia deixou o amarelo
Joguei fora os álbuns de viagens
Não lembro, acho que estou certo
Por que sofrer com falsas imagens?


Tudo que me restou foi à ausência
O vazio do seu toque e do seu olhar
Felicidade de pura e forte aparência
Destruída pela falácia de nunca estar...


Que gosto tem a boca vermelha?
Nem quero pensar, estou bem agora
Nenhum outro corpo ao teu se assemelha
Também lembro muito, tudo ficou lá fora.


Diante de um relacionamento ditador
Ser consumido pelo esquecimento
Foi muito melhor que a latente dor
Dor em te olhar indo embora
A todo o momento...


Sabe aquela música?
Pois é, também já a esqueci
Talvez não se lembre da letra
Porque te perdi...
No entanto, guardado lá no canto
Há uma coisa que não deixei de lembrar
Foi esse desejo louco em te amar.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano






quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Celebração

Celebração



Já tive muito medo da morte
Acredito que ainda receio a partida
Estranho pensar em outra caminhada
Sem ter a certeza da nova morada.


O terror de não mais existir
A dúvida sem saber para onde ir.
Todavia é fato, vamos morrer...
Uma mala de lembranças
Reforçam nossas boas esperanças.
Viver não é mais um simples acordar
Temos metas a seguir
Ter a responsabilidade de ir e vir
Consciência que não nos abandona
Plantarei saudade no peito de quem me ama.


Hoje alguém foi embora
Na incerteza de não mais voltar
Lá fora, além da janela
Existe outro lugar?
Não sei cantar o que poetizo
Entretanto rimo com sentimento
O que preciso para chegar
Aos corações duvidosos
Quem sabe assim a música não termine
Então anime os mais esperançosos.


Assim como o bom blues
Na encruzilhada haverá a oportunidade
Independente da idade
Onde o povo celebre a vida
Com alegria e satisfação.
A boa Canção resiste qualquer partida.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano






terça-feira, 1 de agosto de 2017

Verdes Palavras

Verdes Palavras



Conta as escritas da história
Que tudo isso aconteceu
Quando se juntou a Música, Dança,
Teatro e foi aí que surgiu um dia
Em perfeita harmonia
O que algumas pessoas denominaram
Sonhadores e até profetas dos sonhos
Resultado dessa humana profecia?
Nascia o Poeta e suas Poesias.


Alguns com suas emoções em prosa
Outros politicamente incorretos
O que de fato viu decerto
Foram as declamações despertando
Novas visões nos semelhantes
Ouvindo a palavra que tudo combina
Deram o nome de rima.



Cada verso, expressa uma beleza
Podendo todos ter a certeza
Que a simplicidade da vida
Pelo Poeta já foi proferida.
Experiências pela qual já viveu
Numa jornada de dias e noites
As alegrias e dores já foram sentidas.


Somos pescadores de emoções
Que do profundo rio de lama
Surge aquela chama brilhando
Trazendo conforto aos corações.
A poesia é uma tela pintada
Com letras bem arrumadas
Descrevendo sutis sensações
Atravessando o tempo e gerações.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano










segunda-feira, 31 de julho de 2017

Nobres Poetas

Nobres Poetas


Hoje resolvi viajar
Sair da minha cidade
Buscar sorrisos em outra localidade.
Irmãos de versos que possam poetizar.


O destino é histórico
A cidade secular
Ladeiras tentam nos levar ao céu
No alto, uma paisagem de agradar.
Tudo acontece na Prudente de Morais
Com muita alegria e enorme paz
A casa é um palíndromo
Número 292...
Quem chega primeiro tem sua vez
Os demais recitarão logo depois.
A arte da pintura aos olhos é bem vinda
Nobres Poetas declamam seus poemas
Sem nenhum dilema na Histórica Cidade
De Olinda.


Não é complicado encontrar
É só o ouvir com a alma
Uma suave cantiga
Na forma de poesia
A beleza poética que nunca finda
Artes & Serenata de Olinda.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano






segunda-feira, 24 de julho de 2017

Chuvas de Desejos

Chuvas de Desejos



Todos têm histórias a contar
Inúmeras surpresas a descrever
Dia de chuva, boa hora para começar
Sem medo de nada e tudo a acontecer.


Protegido em dia chuvoso
Vi de longe uma linda jovem
Desejava estar no cobertor gostoso
Vontade tinha, só faltava coragem.


Divididos por uma extensa avenida
Acenei de longe, mas não fui visto
O frio batia e mais longe fica a pretendida
Estranho me sentir malquisto...


Observei de longe aquele corpo
Desprotegido e todo molhado
Minha visão apurada de rapina
Começava a ver além da roupa
A silhueta da beleza, a ninfa...


Gesticulei, mas não gritei
Não queria passar por mal-educado
O vulcão do desejo... Acreditei
Ela nem aí... Fiquei acabrunhado.


De repente uma luz une, ilumina
Ela olhou, fez que nada acontecia
Mas a vontade era forte naquela menina
Sorriso fez da noite um lindo dia.


Ouvi um som de animal bem distante
Era o galo anunciando o amanhecer
Fez-me perceber o constante
Sonhador que sou... Mas valeu acontecer.
Acordei e voltei a viver o abstrato
Que todos chamam de vida
Mas aquela imagem de luz cintilante
Revelou a busca real da pretendida.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano


terça-feira, 18 de julho de 2017

Transitório

Transitório



Eu já tive um lindo sorriso
Tempos de uma infância perdida
Talvez seja por isso, a perplexidade.
Caminhos cheios de espinhos
Purificando a vida com voracidade.

Desacreditado nas palavras certas
Fui humilhado sem vaias e aplausos
Atualmente sigo minhas setas
Direção segura para versos e causos.

Inabilidade nos relacionamentos
Criei profundas e dolorosas feridas
Momentos de prazer guardados
Embrulhados no pensamento...

Na certeza que tudo chega ao fim
Vou caminhado lento cuidando de mim
Calado na amargura do silêncio seguro
Escrevo mais forte quando estou em apuro
Quem nasce pronto e sem controle
É o pensamento... Sufragamos
O luto das palavras.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano


segunda-feira, 17 de julho de 2017

Eternidade

Eternidade



Andejo meditando os verbos da vida
Sereno pronuncio palavras de Luz
A perpetuidade oculta na linha escrita.
O som do coração não mais me conduz.


Eterno seja as entrelinhas de Fernando Pessoa
Que viajou além-mar conquistando o mundo.
Augusto dos Anjos traduzindo as dores que a alma ecoa
Faz de cada palavra um sentimento mais profundo.


O eco dos meus pêsames é evo
Já estou no caminho da partida
O murmúrio do vento é o que levo
Sigo na memória da última poesia lida.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano