terça-feira, 19 de setembro de 2017

Redenção

Redenção



Quem tem o hábito de ser educado
Viver levando alegria ao semelhante
Por Deus será rico tendo a bênção abundante
Para caminhar todo dia adequado
Seja cortês e jamais indelicado...
Tenha sentimento constante de simpatia
Pois a vida é para quem tem empatia
Feliz a criança na escola, sempre estudioso
Garantindo um futuro auspicioso
De convívio com os seus em plena harmonia.


Competência é quem vive em paz
Deixando para trás o que mal lhe faz
Levando a melodia do amor no coração
Como sua própria oração de louvor
Dizendo ao Divino Criador que gratidão
É sua melhor redenção carregando
Todo dia a alegria o sorriso contente
A proteção da Virgem Maria.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Olinda Mágica

Olinda Mágica



Olinda é mágica
Olinda é poesia
Olinda é energética
Olinda encanta a noite e ao dia.

Olinda tem igrejas
Tem história de louvor
Tem como padroeiro
São Salvador do Mundo
Na sua rica história
Que lá mora ou de fora
Vem visitar guarda na memória
No seu mito popular
Será muito fácil se lembrar
Que o nome surgiu
Na exclamação do Nobre
Fidalgo Português Duarte Coelho
Que talvez em sua embriaguez de euforia
Disse: "Oh, linda situação para se construir uma vila!"
Em Olinda se chega por qualquer lugar
Por terra entrando nos famosos bairros
Pelo mar o encanto que faz o sol brilhar.
Quem passa pela Praça do Jacaré
É melhor descer suas fotos tirar
Seguir a caminhada andando
Contemplando a beleza local
São tantas as oportunidades
Em de se maravilhar que dará
Vontade de um memorial criar
Chegando à Praça do Carmo
Se desejar siga pela beira-mar
Ou entre e conheça as ladeiras
Que a noite parece levar você
Aos Encantos Místicos do luar
Olinda tem som de alfaia
Batuque de tambores silenciosos
Bonecos gigantes e duvido
Que você saia de lá sem
Essas maravilhas experimentar.


Será do Alto da Sé que verás
Duas lindas cidades irmãs
Encantar o coração...
Quando longe estiveres
Tenho a certeza que a emoção
Dessa Cidade ficará firmemente
Guardado não só na fotografia
Fixado está em sua memória eternamente.
Sua volta agora será constante
Pois a magia e a beleza da Menina
Olinda tornou-o mais um Amante.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Semente da Vida

Semente da Vida



Todo dia vamos renascer
Regressando de eternos sonhos
Tudo é possível acontecer
Sinceros rostos risonhos.


Moro na Terra
Moro no Mar
No Infinito... Deus para Amar.


O desapego é necessário
Abnegar para seguir viagem
Somos o grande emissário
Da Verdadeira e única mensagem.


Moro na Terra
Moro no Mar
No Infinito... Deus para Amar.



Renunciar o alimento do mal
Saciar-se na fonte do saber
Acreditar que no anoitecer
Orientações no mundo espiritual
Irão nos fortalecer...



Moro na Terra
Moro no Mar
No Infinito... Deus para Amar.


Não existirá despedida
Enquanto houver a certeza
Da Semente da Vida.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano


terça-feira, 12 de setembro de 2017

Criação da Liberdade

Criação da Liberdade



O mundo do poeta é um vazio
Enquanto não se tira o nada
Da criação oriunda do mundo
Sombrio...  
Para muitos talvez seja sem juízo
A criação é algo que excita
Cavalga nas noites poéticas
Inspiração involuntária que
Não Se explica...


Todo artista ou escritor
Trabalha incansavelmente
Sua mente na alegria e na dor
Ele vive as suas dores
Renomeia os seus amores
Defende o semelhante
Podendo ter uma vida sombria
Às vezes uma estrada brilhante
A única ostentação de alegria
É poder criar em Liberdade
Seus versos e poesia...


Somos livres nas mentes abertas.


Fernando Matos
Poeta Pernambucano






sábado, 9 de setembro de 2017

Pernambuco em Versos

Pernambuco em Versos



Pernambuco tem um alfabeto a ensinar
Coisa muito peculiar de seus artistas
Poetas onde o criar é uma total festa
A todos que a nossa cultura se interessar.

Nosso Estado por sua excelência
Mostra toda a beleza na aparência
Começando pelo seu nome honrado
Que todo alfabetizado sabe que nenhuma
Letra se repete mais nossa arte tudo
Se mostra misturado.


Da zona da mata a capital nada é igual
A diversidade cultural encanta o turista
De ontem e de hoje deslumbrado
Com os rios e o rico manguezal.


Aqui tem obra de Abelardo da Hora
Castelo Medieval do Francisco Brennand
Artista de hoje e de outrora
Reunindo pintura e escultura tudo no capricho
Aqui tem Romero Britto.
No palco atores que merecem o Nobel
Pela sua coragem e determinação
Começando a nomeação por José Pimentel
Na lista de Grandes Atores
Temos Reinaldo de Oliveira encabeçando
A fileira do Teatro de Amadores
A Dama de Ouro do Teatro Pernambucano
Geninha da Rosa Borges
Outros que minhas rimas iram abraçando
Com louvor e admiração artística e poética
Um grande acervo de cultura eclética.


Pernambuco não cabe numa pequena
Poesia...
Talvez precisasse reinventar outra cantoria
Para demonstrar o amor e todo encanto
Levando de canto a canto dessa nação
Brasileira essa criativa brincadeira
Com rimas e versos

Diversos de muita Luz e Emoção.



Fernando Matos
Poeta Pernambucano











sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Louca Mente

Louca Mente



Olá, tudo bem?
Às vezes não consigo responder...
Não é uma pergunta retórica
Percebo que nada corresponde
A vida é assim, metafórica...
Tem projetado a mente?
Todos os dias e tão somente.
Assim como a Lua, temos fases
Complicado às vezes engolir
Os temerosos ultrajes...
É bom excretar as más influências
Exercício diário e determinado
Ações levam às consequências
O corpo anda cansado
Antes o corpo que o espírito mutilado.
A viajem é longa independente da posição
Ouça mais a respiração e as batidas
Fortes do coração... Orquestra afinada
A sintonia elevará a bravura
Talvez a minha luta maior
Tenha sido com o meu pensamento
Disciplina árdua a todo o momento.
Nunca estaremos sozinhos na jornada
Agradeço o ombro como almofada
Ao leve descanso poético
Não ande cético, a palavra tem força
Gratidão ao tirocínio dialético.



Fernando Matos
Poeta Pernambucano








quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Significante

Significante



Não recordo da alegria do meu nascimento
Ouvi vozes de euforia durante longos anos
Sentimento vazio na reconstrução do pensamento
Verbo do pretérito, vivendo o presente
De outros planos...


I'm not perfect, I came to the world to learn to love...


A Juventude me abandonou quando
Eu voava livre...
Nos embalos de músicas eletrônicas
A mente atônica embriagava a lucidez.
Uma sadia estupidez vivida na solidão...


I'm not perfect, I came to the world to learn to love...


A Natureza feroz não me levantou
Quando minha alma caiu... Já era um adulto.
As sobras energéticas do passado
Ergueu o guerreiro desesperado.
A caminhada até a montanha ainda era distante
Cada instante imoto nos sonhos alucinógenos
Distanciava-me da evolução prometida
Cheguei a ser significado de homicida.
Baixar a cabeça é atitude de fraco
Agarrei-me ao cajado com avidez
Banhei-me na Água da Vida
Enxergando com lucidez
A Paz de uma vela escura que me convida...


I'm not perfect, I came to the world to learn to love...


Fernando Matos
Poeta Pernambucano